Insights Consumidor Moderno Experience

Por Tempo de leitura: 4 minutos

PRIVALIA JÁ PENSA EM LANÇAR AÇÕES DE RECYCLING

   Para manter o poder de consumo em tempos de retração econômica, os consumidores buscam descontos e garimpam oportunidades, conforme Fernando Boscolo, CEO da Privalia Brazil. Com um negócio que surfa em diferentes cenários econômicos, a Privalia mantém um olhar estratégico para o cliente em sua estrutura com mais de 1,5 mil marcas parceiras, 400 campanhas diferentes todos os meses, atuação em 11 categorias e 400 mil pedidos mensais entregues para a base de mais de 17 milhões de clientes. Antenada ao movimento de consumo mais consciente, a plataforma já planeja ações na área, que vão além de exigir que as marcas tenham certificados que garantam as melhores práticas do mercado. Uma novidade antecipada por Boscolo é que, em breve, a Privalia vai lançar algumas ações de recycling. “Sabemos que isso será cada vez mais presente na cabeça das pessoas e achamos que, através da potência que a Privalia tem de se comunicar com muita gente – temos 500 mil visitas todos os dias –, podemos promover formas em que as pessoas devolvam seus produtos antigos para que possam comprar novos produtos na Privalia.” Segundo ele, a plataforma buscará formas sustentáveis para que os produtos sejam reinseridos no mercado através do reaproveitamento e da revenda.

PUBLICIDADE

SAÚDE CONCENTRADA

O nevrálgico setor de saúde vem passando por mudanças. “Temos acompanhado muitas fusões e aquisições. A SulAmérica juntou-se à Rede D’Or e as empresas menores estão saindo do mercado. A tendência é que se estabeleça, cada vez mais, os grandes grupos”, comenta Renata Vilhena, advogada especialista em direito à saúde e sócia do Vilhena Silva Advogados. Com os grandes conglomerados se fortalecendo, a acessibilidade aos planos pelo consumidor fica cada vez mais difícil.

CHEGOU A PLATAFORMA MUNDO DO CX

Com o objetivo de funcionar como um grande indutor do “CX made in Brazil”, projetando nosso País como uma referência mundial em serviço ao cliente, unindo tecnologia, inovação e humanização, surge o Mundo do CX, startup vinculada à plataforma Consumidor Moderno, a primeira plataforma de conhecimento e capacitação para profissionais e interessados em todos os assuntos relativos ao customer experience. “O grande diferencial dos conteúdos do Mundo do CX é o olhar sobre o marketing, os clientes, as experiências, a inovação, a transformação digital e a TI, em qualquer transação que envolva troca de valores ou, então, troca de informações”, comenta Jacques Meir, head de Conhecimento do Mundo do CX.

A ERA DO FAZ DE CONTA E DO EXAGERO ACABOU

Saúde e sustentabilidade são as grandes pautas da década. Há muitas oportunidades, mas são oportunidades que precisam de um certo nível de inteligência, não artificial, mas humana”, prevê Jaqueline Weigel, CEO da W Futurismo

 

Segundo ela, o consumidor está cada vez mais preciso na sua compra e mais restrito no uso do recurso. “O consumo verde, consciente, responsável e sustentável vai ganhar tração.” As empresas estão atentas a esse movimento? Segundo Jaque, algumas sim, outras não. “A maioria ainda tem muito foco em venda, escalada, resultado e meta. Este tipo de empresa fala bonito, mas tem uma reputação ruim. O consumidor percebe quando as empresas tentam impor algo no mercado. Vivemos uma revolução. As empresas precisam mergulhar um pouco mais para entender os movimentos que estão gerando essa mudança e não só ir mudando. A grande pergunta da década é: O que estamos fazendo, por que e como estamos fazendo?”, explica. Em síntese, ela diz que a era do faz de conta e do exagero acabou. “O consumidor está cansado de ser enganado com bonitos discursos de marketing, pois quando vai ver não tem nada de humanismo no atendimento.”

O MATCH NA EXPERIÊNCIA

A Enjoei é um ecossistema de comprador e vendedor, em que ambos são pessoas físicas. “O desafio é conseguir fazer o match de forma correta e garantir que consigamos construir uma experiência sem fricção de ponta a ponta, levando em consideração que tenho dois consumidores – um de cada lado”, comenta Dan Reicher, Chief Business Development Officer da Enjoei. Na Enjoei, a experiência do cliente possui algumas vertentes. Em primeiro lugar está a redução de fricções, seguida pela experiência em si, que é o que é feito para a comunidade ser mais engajada e envolvente, e, segundo Reicher, a confiança é a principal delas. “O consumidor, para poder ter uma boa experiência de compra e retornar, busca a confiança. É ter a certeza de que o produto que ele está comprando de fato está descrito de forma correta, vai chegar e, se não funcionar, terá a liberdade para devolvê-lo.”

VEM AÍ A WEB 3.0: A BOMBA QUE VAI MUDAR A SOCIEDADE

Uma tendência na área da tecnologia é a cultura de descentralização total, que envolve blockchain e web 3.0. É o que antecipa Juliano Kimura, CEO da Trianons, especialista em universo de inovação digital e redes sociais e autor de “O Livro Secreto das Redes Sociais”, sobre o novo misterioso desconhecido. “Já vi uma rede social e um site em blockchain. O fantasma consiste em tudo o que está na blockchain virar uma tecnologia que torna sites invioláveis ou incensuráveis.” De acordo com ele, a tecnologia descentralizada é uma base de dados distribuída, ou seja, não existe um banco de dados porque a base de dados existe em milhares de lugares simultaneamente. “Isso deve pegar no Brasil em dois anos, pois a mudança está em ritmo acelerado e atingirá o ápice entre sete e dez anos. A tecnologia não pode ser freada. O maior desafio é a educação e a compreensão. Para tudo isso chegar na massa, ela precisa entender que é um benefício para toda a sociedade.”

Olá, tudo bem? Você já pensou em receber nossos conteúdos no seu e-mail?

Todos os dias, matérias exclusivas sobre a evolução da jornada do consumidor, tendências e comportamento direto na sua caixa de entrada. Cadastre-se agora e faça parte desse mailing.
É rapidinho!