Automação do marketing conversacional: o caminho para gerar relacionamento duradouro

A relação de consumidores com agentes conversacionais, os bots, torna-se cada vez mais natural e vantajosa – tanto para empresas quanto para clientes

Por Tempo de leitura: 3 minutos

Ganhar a atenção dos consumidores e se relacionar verdadeiramente com eles são grandes desafios enfrentados pelas empresas. Isso porque, dependendo do nível de conectividade, uma pessoa pode receber entre 400 e 10 mil comunicações diariamente, segundo pesquisa da Deloitte. Só se destaca nesse cenário quem tem uma estratégia assertiva – e a automação do marketing conversacional é essencial para isso.
Tudo começa por estar onde o cliente deseja entrar em contato, em qualquer hora do dia. Pietro Bujaldon, cofundador e Chief Business Officer do smarters, uma startup de Inteligência Artificial que desenvolve agentes conversacionais, explica que a maioria dos leads gerados por intermédio das soluções da empresa foi feita depois do horário comercial. O resultado disso é encurtar a distância entre marcas e pessoas para uma troca de mensagens.
Mas, a tecnologia permite ir muito além dos canais de atendimento. Pietro explica que o conversacional apresenta inúmeras possibilidades, representando um grande potencial para gerar experiências de valor. Aí entra a importância da automação, única forma de explorar a fundo todas as oportunidades disponíveis.
Um exemplo do uso inteligente da automação é o case da campanha de brand awareness feita pelo smarters em parceria com a Closeup durante a Parada LGBT, em 2019. Com o objetivo de gerar ativação e engajamento na campanha Closeup #AmorLivre, foi realizada uma integração do agente conversacional com realidade aumentada (AR), OOH e dynamic ads. A partir disso, os casais podiam tirar fotos pelo Messenger envolvidos em um arco-íris (AR) e, posteriormente, os registros apareciam nos relógios da Avenida Paulista e nas redes sociais. “A empresa é posicionada até hoje como apoiadora da causa”, lembra Pietro Bujaldon.
Outras frentes podem ser atacadas através da automação do marketing, a fim de gerar experiências valiosas e inesquecíveis. Bujaldon destaca: “Estamos sempre expandindo as aplicações e apresentando soluções inteligentes para os nossos clientes. Elas podem ser usadas em campanhas de promoção; geração e qualificação de leads, substituindo o preenchimento de formulário pela troca de mensagens; ou em live commerce, deixando as lives interativas e potencializando a audiência e as conversões em leads, cadastros e vendas antes, durante e depois do evento.”
Quando se trata da automação em promoções, o case da Elma Chips se destaca. A campanha de incentivo de vendas mais recente da PepsiCo, a “Me faz um PIX”, trazia na embalagem um QR Code que levava diretamente ao contato por WhatsApp, o que gerou 52% das entradas no canal. Ao todo, foram 3 milhões de usuários e uma conversão de cadastro que alcançou 80%. Em todas as interações com o agente conversacional desenvolvido pelo smarters, apenas 2% das mensagens não foram entendidas.
“As agências e marcas têm, cada vez mais, descoberto as vantagens e possibilidades da automação do marketing conversacional. Elas entenderam que precisam dialogar com o público, um a um, para ter conexões significativas e um relacionamento em longo prazo. E isso só é possível a partir da automação completa e omnicanal e do conversacional, que ainda conta com o superpoder do agente de fazer perguntas antes, durante e após ações e campanhas de marketing”, explica Pietro.

PUBLICIDADE

Caminho a ser explorado

Apesar do entendimento de que o marketing mais inteligente é aquele que permite o diálogo com as pes-
soas, o mercado de bots ainda está, em torno de 75%, voltado para o atendimento. Atualmente, o marketing corresponde a apenas aproximadamente 5% desse mercado, mas, ao que tudo indica, é uma área que ganha cada vez mais atenção das empresas.
Líder do mercado, o smarters tem visto aumento na procura e nos projetos realizados. “Começamos com a automação do marketing em 2016 com o lançamento da plataforma de bots no Messenger. Adquirimos a experiência de saber como colocar o conversacional dentro da jornada do cliente, conhecendo qual rede, momento, integração e canal devem ser utilizados, e como impactar e conduzir melhor as pessoas em direção aos objetivos das ações e campanhas de marketing”, afirma Pietro.
Essa é mais uma expertise por meio da qual as empresas que tomarem a frente têm tudo para ganhar destaque no relacionamento com o cliente.

Olá, tudo bem? Você já pensou em receber nossos conteúdos no seu e-mail?

Todos os dias, matérias exclusivas sobre a evolução da jornada do consumidor, tendências e comportamento direto na sua caixa de entrada. Cadastre-se agora e faça parte desse mailing.
É rapidinho!